SEGUIR POR E-MAIL

terça-feira, 4 de junho de 2013

POEMINHA À LUA BAILARINA





Quando, oh lua, tu piscas e escureces a rua
escureces também o cais dos olhos
de quem a assiste adormecer assim devagar
e devagar também adormece em teu olhar

dança,

lua, dança
na tua louca puberdade
tão adolesc
ente lua
dança com meus sentidos
enquanto eu te giro
qual roleta-russa sem tiro
pelas pernas tuas, oh minha lua, eu te seguro!
Enquanto danças
tua dança enluarada, eu te escuro... 
E tu... Todinha inundada de ti mesma
de tua própria candura, 
tua própria coreografia
dança  até amanhecer o dia

Depois cansa de tanta dança
adormece e eu te flutuo feito pipa
feito bolha de sabão, feito criança
e te assisto adormecer até de novo te acordar
pra de novo, em meus sonhos, linda tu vires dançar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário