SEGUIR POR E-MAIL

segunda-feira, 8 de julho de 2013

O SOPRO (CANTO ETERNO)




A vela apagou...
Velei pela vida
Que já não vivia

A vela apagada
Pelo intenso fogo
Da lágrima tensa
Furtou-me os restos
De meus rastros futuros

O sopro que me falta...
De onde virá o sopro?
Talvez da própria vela
Talvez da lágrima
Talvez de mim...



Nenhum comentário:

Postar um comentário