SEGUIR POR E-MAIL

segunda-feira, 8 de julho de 2013

ESPINHOS




Gosto do som amargo
Das minhas palavras
Gosto que me torturem
Gosto da dor de concebê-las


Gosto do sabor cinza
Dos meus versos
Gosto que me torturem
Gosto da dor de recebê-los:


Espinhos
Que nascem pra dentro,
febres, úlceras, delírios
encubados como vírus
emergem quando querem
E se quiserem
Me destroem

Mas se misericórdia tiverem
Apenas me usam
Apenas me torturam...






Nenhum comentário:

Postar um comentário