SEGUIR POR E-MAIL

segunda-feira, 8 de julho de 2013

O ELO



Anda, busca a vida que é tua
Como as ondas são do mar
Anda, busca o teu calvário
Inaugura um trecho
Perpetua um elo
E sentencia tua própria escolha
Anda...busca-te
Busca-te porque eu serei santa
Serei puta
Serei como vaga
Que se debata violenta
Contra o mar
Seu inquisidor e esposo
Eternos
Serei como as raízes mais fundas
As pontes e as correntes
Que prendem e libertam
Que escravizam a alma e a busca
Anda...busca-te
Sabe de teus fantasmas
Sabe de teus mortos, de teus vivos
Sabe de ti
Porque rompeu-se o elo:
Não saberás mais de mim


Nenhum comentário:

Postar um comentário