SEGUIR POR E-MAIL

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

DEVOLVA

Devolva já meu primeiro pensamento do dia e o último antes do sono. Devolva agora meus momentos - meus sentidos - minha sede.
Devolva já minhas palavras. Todos os versos que te fiz - nos anos que vivi em um mês - são meus.
Devolva agora minhas lágrimas - minhas dúvidas - tuas dívidas. 
Devolva, acima de tudo, a minha leveza. Devolva o amor que estava nascendo e se afogou no teu veneno. 
Devolva o lápis que ia desenhar nossa história e eu devolvo teu rabisco - teu rascunho de vida. 
Devolva as noites de amor que te dei. A boca que te alojou. A pele que te sustentou. 
Devolva o suor do meu corpo que ficou no teu e devolva o som da minha voz que o teu ouvido comeu.
Devolva - enfim - cada beijo - cada vez que fechei os olhos - cada gemido - cada perdão pedido em vão.
Devolva meu agosto perdido que eu te devolvo a esse teu encardido desgosto.

4 comentários:

  1. Triste mas bom. Lu Garcia

    ResponderExcluir
  2. balancou meu coracao ouvir tudo isso, cmom um tremor, um medo, mas um realidade que naos ei se quero viver mais...um mix de saudades, de odio...parabens pelo texto

    ResponderExcluir
  3. Triste, apelativo, lindo! Mostra que apesar da tristeza, tudo foi bom enquanto era verdadeiro; A mágoa faz querer voltar no tempo;

    ResponderExcluir
  4. Amei!
    Tocou no meu coração, muito bom!
    Beijos e parabéns. *-*

    ResponderExcluir