SEGUIR POR E-MAIL

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

NUNCA MAIS





































Nos dias em que me chovo em mim assim...
feito inundação seca
feito saudade avessa
fico eu feito feto sem útero
feito foto sem câmera
feito fonte sem água...

Nos dias em que me seco em mim assim...
feito afogamento em fogo
feito saudade avulsa
calo eu como quem cala
como quem corta o próprio calo
como quem caule sem folha nem raiz...

Nos dias em que me perco em mim assim...
vontade dá de nunca mais voltar
nunca mais me habitar
nunca mais mar nem cais...
nunca mais.












Nenhum comentário:

Postar um comentário