SEGUIR POR E-MAIL

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

TUA



Ah, essa tua carne morena coberta de pelos! Essas mãos grandes que conhecem meus esconderijos mais escondidos! É a tua mão que me devora antecipada quando me afaga os cabelos da nuca (tu não esqueces de me levantar os cabelos e de encostar teu corpo todo no meu, só para que eu sinta quem é que me guia enquanto eu perco a direção) e é tu que me deixas louca quando me morde o canto da boca.

Depois me tatuas a pele com a barba desenhando em minhas costas - com a dor lenta que todo prazer sempre tem - estradas de se perder pra sempre (as mesmas onde perco a direção).

Eu só preciso sentir teu corpo agora - dá-me teu corpo - põe teu corpo em mim, em minhas mãos tão menores que as tuas - põe teu corpo em minha boca, põe!

Quero teu corpo agora. Todo ele atracando em meu cais e me afogando enquanto pesa sobre mim!

Enquanto me doma e me incendeia e me põe em erupção quando me tem assim - inteira - tua - só para o teu prazer, só para te satisfazer, tua cativa - perdida, sem direção, sendo guiada pela tua mão forte em minha nuca no meio do oceano imenso que existe entre os continentes das tuas pernas.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigado! Gosto, às vezes, de escrever, assim, despertando o lado mulher que todos temos.

      Excluir