SEGUIR POR E-MAIL

quarta-feira, 14 de maio de 2014

INTENSIDADE


Queima em mim o eclipse de dois sóis
arde-me a alma como ebulição
inquieta-me o ar que 
ainda há de me respirar

Sou a soma de sobressaltos
e o espaço sobressaltado
sou o assalto passado a limpo
antes do assaltado cair em si

Soma-me a soma do que 
em mim me subtrai
Trai-me a palavra que me sai
sem pausa, na pressa, 
que me ensaia na estreia
que me anseia e me seca...

Queima-me um eclipse de dois sóis...

Nenhum comentário:

Postar um comentário