SEGUIR POR E-MAIL

domingo, 27 de fevereiro de 2011

TANTO QUE TANTO

Ainda hei de me conhecer um dia. Sei apenas das partes de mim - não do todo.

Vivo esbarrando nas paredes de mim - vivo esbarrando nos que insistem em mim

Quase tempestade, quase ressaca - na boca gosto de de sufoco

Ainda hei de me olhar nos olhos de olhos bem abertos - e depois hei de cegar os olhos

e de olhos cobertos - perder-me de mim de novo só para de novo me encontrar

Pois está na busca não no encontro

está na ida não na chegada

o conhecer-me tanto que tanto quero

Nenhum comentário:

Postar um comentário